**********

 ENTREVISTAS

 

À Folha de S.Paulo (1973)

 











**********

 

À revista ESCRITA (1985)







 

**********
 

À Folha da Tarde (1995)
 

 

**********

 

Encontro em 1977: Florivaldo Menezes com Renato Ghiotto / Angélica / Villari Herrmann, Orlando Marcucci.

 

**********


ENTREVISTAS COM FERNANDO RIOS

 

Considerações sobre a língua chinesa ; o computador; sobre o Verbo;  Linguagem Pop; Mahler, precursor da Arte Pop.  Linguagens, oriental e ocidental. Minhas pretensões de romance ideogramático,  de super-realidade (Romance teológico).

         Passagens de entrevistas com Fernando Rios, logo em seguida. Explicação do Romance Teológico , “Os sentimentos didáticos”. [ v. gaveta Romance tb., onde há a obra, parcial, e ao final a carta ao crítico Osmar Pimentel. expondo-lhe as linhas teóricas dessa obra de ficção.]        

         Alguns Dados Autobiográficos; interrupção do romance e volta à Poesia, na ocasião identificada com o Grupo Noigandres.

         Flo Menezes meninote, à época o “Bebê”, estudando no mesmo espaço da entrevista, praticamente impúbere,  executa ao piano um pedacinho de Schumann e pula para a Sonata op. 10, 2, de Beethoven (cf. de 16´02´´  a  28´19´´), que ele praticamente  justifica, ao microfone,  como fase adiantada, prematura, de seus estudos, mas necessária para anotar evolução.

         Minhas falas ao gravador traçando planos para um próximo livro. Explicação da fase biológica de vinte e poucos anos do Autor, fase “drummondiana”, na poesia, apesar de não o conhecer nessa época da juventude.

         Uma obra minha denominada "Valsa do Minuto para elástico no dente e Respiração", e, finalmente, o Flo (Menezes) interpretando ao piano a partitura de meu poema "O lago dos signos", colocando appoggiaturas.

        Tudo faz parte de uma passagem que fiz, na madrugada de meu aniversário em 1995, de coisas gravadas em 1985 para um gravador mais moderno. Portanto, coisas de 1995 e de dez anos antes, 1985...



 

  
**********


 

CONTINUAÇÃO DA ENTREVISTA COM FERNANDO RIOS

 

         Avaliação de obras dos poetas concretistas, alusão a poemas de Augusto, Décio, Ronaldo. Continuando a entrevista com Fernando Rios, são abordados: estética de Poesia, Vanguarda,  Visão de Política e de Poesia, também de Fernando Rios.

         Análise de meu livro de 1972 ( ed. Invenção, sem título, chamado “Inverso” no prefácio de Ronaldo Azeredo). Considerações sobre o fazer poesia; poesia em crise. Fenômeno da Redundância na arte e na vida,  (redundâncias evocadas pelo Autor e contestadas por Fernando Rios).

         Os geniais Autores Menores (dois: Lajos Zilahy e Amando Fontes). Idéias paradigmáticas e Poetas paradigmáticos. Música “caipira”.


 

 

 

 

**********

Depoimento sobre a morte de Saddam Hussein a Paulo Ramos Machado, apud BBC Brasil.



to be continued...


voltar à página principal